Rippar Cd's com Linux

Admito que o termo Rippar não soa muito bem, mas é sobre isto que o post é sobre, um guia passo-a-passo de como rippar um CD com a melhor qualidade possível em Linux e claro, da forma mais fácil possível.

Prontos para começar?

Antes de mais convém actualizarem os repositórios, aquelas coisas do costume, quando o acabarem começamos com isto.

1. Para começar e se tiverem o gestor de pacotes aberto aproveitam para instalar o Sound-Juicer e o Audacity.

2. Agora enfiem o CD que querem rippar e abram o Sound-Juicer. Se se armaram em carapaus de corrida e já têm o Sound-Juicer aberto podem fecha-lo e voltar a abri-lo… pronto estava a brincar, basta ir a menu Ficheiro e escolher Recarregar CD ou a combinação de teclas Ctrl+R.

Se por acaso não aparecer nada não há problema. Como temos de ir as preferências tratamos já disso. Então vamos lá: Editar > Preferências.

O que pode estar a dar problemas é o Dispositivo de CD, se não é aquele em que enfiaram o CD mudem-no. Podemos aproveitar para escolher a opção “Abrir a pasta de música ao terminar”. Agora a parte importante é escolher o formato de saída – por defeito é OGG, formato similar ao MP3, o que significa que tem perda de qualidade, logo não é isso que queremos, por isso seleccionamos FLAC.

Nota: Se o objectivo é ler as músicas num leitor de MP3 ou um bicho similar mais vale escolher OGG – que irá funcionar em alguns leitores – ou MP3 que funcionará, nestes casos limitem-se a extrair as músicas e está feito. Mas como o objectivo é ficar com as músicas no PC o guia vai mais além.

3. Agora vamos seleccionar as faixas que queremos extrair, como podem ver aparecem todas pela devida ordem, e com os respectivos nomes.

No meu caso só escolhi uma – para despachar… – quando escolherem seleccionem Extrair. Irá aparecer uma pequena barra a carregar no canto inferior esquerdo da janela para mostrar o progresso, quando acabar passamos ao próximo passo, isto com excepção daqueles casos da Nota acima exposta.

4. Eis um exemplo de um ficheiro.

Agora vamos abri-lo com o Audacity.

Como?

Bem, que tal botão direito > Abrir Com > Outra aplicação (no caso de ele não aparecer na lista). Na nova janela para ser mais rápido escolhemos a opção comando personalizado, e escrevemos no rectângulo correspondente “audacity” (sem as aspas).

5. A janela do Audacity deverá ser mais ou menos como esta:

Agora é simples, vamos a Efeitos > Compressor. Na janela do Compressor basta fazer Ok, este processo levou comigo coisa de 30 segundos, e tem como objectivo melhorar a qualidade sonora, não que tenha sido algo por aí além neste caso.

6. Está quase, quase a acabar. Vamos a Arquivo > Exportar.

Certificamos-nos que o formato é o FLAC, e vamos a opções e escolhemos “8″ para o nível e a taxa de bits para “24″. Ok, Gravar, e pronto acabou.

Agora podem desfrutar da música ou das músicas que sacaram dos CDs.

NOTA: Este artigo foi elaborado por Miguel Guerreiro para o Peopleware.

Anúncios

~ por 3c0linux em outubro 7, 2008.

 
%d blogueiros gostam disto: